Arquivo de Junho, 2009

30
Jun
09

Bomba á vista!

Os sapadores que se cuidem…segue dentro de momentos…

Edit:

Será o Tribunal Judicial a decidir se Luis Filipe Vieira pode ou não ir às urnas, nas eleições do Benfica, marcadas para sexta-feira.

O candidato da lista B, Bruno Carvalho, apresentou no Tribunal de Lisboa, um procedimento judicial, no qual defende que Luis Filipe Vieira violou os estatutos e não pode ser candidato.
Bruno Carvalho tem um parecer jurídico que sustenta a acção interposta em Tribunal, e que a três dias das eleições condiciona o acto eleitoral. Numa entrevista a Bola Branca, Bruno Carvalho, acredita que irá às urnas sem opositor, e se tal acontecer convocará eleições para dentro de seis meses.

O candidato da lista B, continua também a defender que houve batota, na forma como o acto eleitoral foi convocado.

Sobre as contratações sonantes do Benfica, com Saviola à cabeça. Este não é o melhor caminho, considera Bruno Carvalho nesta entrevista a Bola Branca.

RR

Edit 2: O recurso sobre a providência cautelar contra as eleições no Benfica que estavam agendadas para a próxima sexta-feira, foi aceite pelo Tribunal da Relação de Lisboa. Em consequência desta decisão, as eleições foram suspensas. Aguarda-se agora nova data.

CM

Edit 3: Bola 7 sabe que os advogados do Benfica vão esgrimir argumentos na esperança do Juiz nao aceitar a argumentaçao apresentada….por Quaresma

Porque depois ainda vao ter de apreciar a providência do Bruno Carvalho, que pelos vistos  nao tem nada a ver com isto. A novela segue dentro de momentos…

Edit 4: Pelos vistos são 3 as providencias cautelares relacionadas com as eleições. Muito dificilmente, a menos que os advogados do Benfica mostrem competencia até agora não vista, as eleições serão sexta-feira. O mais provavel é serem em outubro. Vamos ver.

Bola7 falou…

30
Jun
09

Vamos rir…

1…2…3…

O português Pedro Proença foi promovido pela União Europeia de Futebol (UEFA) ao grupo de árbitros de Elite, juntando-se a Olegário Benquerença, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

De acordo com o sítio da FPF, Bruno Paixão foi o outro árbitro português que ascendeu na hierarquia da UEFA, no seu caso à primeira categoria, na qual já estava Lucílio Baptista.

Jorge Sousa e Duarte Gomes, ambos da segunda categoria, Paulo Costa e João Ferreira, os dois de terceira, e Carlos Xistra, de quarta, são os outros árbitros internacionais do futebol luso.

…ahahahah…

Bola7 falou  e engasgou-se…

29
Jun
09

Ide todos cagar pah!

Um dia assisti a uma cena de arrepiar…duas matronas com muita idade mas pouco juízo, pegadas seriamente á porrada, sendo um desiderato dos diabos separarem-nas, pois quando se engalfinharam pelos cabelos, sendo a questão resolvida com a intervenção policial. E tudo porque? Porque dois filhos delas se acusavam mutuamente de agressão a jogar futebol. Mas mais ridículo de tudo foi passados alguns minutos após acabada a refrega, com arranhões vários, cabelos a precisarem de ir ao cabeleireiro do Jorge Jesus as duas verem com os seus olhos pisados, os mesmos miúdos jogarem novamente futebol como se nada se tivesse passado.

Ao ler os tristes acontecimentos do último Sporting-Benfica em juniores não pude deixar de pensar como o futebol está nas mãos dos estúpidos e alargando ao geral, como o país se encontra podre.

É ridículo que agora se discuta o sexo dos anjos, ou seja de quem é a culpa dos acontecimentos, se da organização, se do local, se do sol, se da segurança se do raio que o parta, quando a culpa de tudo reside somente apenas na falta de civismo e da estupidez militante de alguns e da ausência de autoridade das forças das forças policiais neste país.

Isto tudo só acaba um dia quando os clubes forem seriamente sancionados após acontecimentos análogos, e aí sim eles abrem os olhos. Sim, porque para as direcções dos clubes certa gente ligada ás claques dão imenso jeito em determinados momentos, uns porque lhes ajudam a controlar os “excessos” dos jogadores e a outros os “excessos” dos adeptos que se manifestam em assembleias-gerais de democraticidade suspeita.

Eu até acredito que dentro das claques exista gente de bem que julga apoiar o seu clube, mas faz-me uma impressão do caraças ver aquelas massa de gente ser conduzida para os estádios como se gado fossem, guardada por uns quaisquer vaqueiros a caminho de um matadouro.

Mas mais triste que isso é ausência de autoridade das forças policiais, que perante meia dúzia de gatos, são ridicularizados na sua função de protecção das pessoas, arriscando-se o cidadão anónimo que leva a sua família para um simples jogo de futebol, a viver a um jogo de vida e de morte, como se tempos medievais se tratasse.

 

Bola7 falou…

26
Jun
09

John Mortimore, ou o exemplo a seguir.

Ao ler o escrito do meu amigo Marco Paulo ferreira sobre o não aproveitamento de jogadores do plantel, porque não se tem paciência para esperar, tive uma discussão com uns velhos amigos sobre a qualidade ou não do Britânico John Mortimore, e a velha questão dos treinadores que querem tipo miúdos mimados, comprar brinquedos novos, diga-se jogadores, à pala do pobre adepto, que paga e não bufa. Convenhamos também que a maioria dos adeptos adora esta coisa dos brinquedos novos, e depois queixa-se. Nas Caxinas, terra de pescadores, gente rija, costuma-se dizer que quando se dá demasiada confiança à canalha (crianças) ela abusa. É o que se passa no futebol actual. Em todos os clubes. Um qualquer treinador chegando ao clube resolve a seu belo prazer esquecer-se do potencial do plantel para adquirir os jogadores ao seu belo prazer, muitas vezes por fins inconfessos, outras vezes apenas por teimosia, provocando em muitos casos perdas desportivas e financeiras importantes. Depois, fazendo lembrar a “canalha”, utilizam a chantagem psicológica para atingirem os seus fins… se não tem os jogadores pretendidos rapidamente faz passar a mensagem que se encontra ai a razão para um possível fracasso. Mas o curioso é que quando fracassa, apesar de satisfeito todo o seu desejo, a culpa normalmente morre solteira, e os dirigentes ficam com “criança” na mão. Um bom exemplo disso foi o “Sr.” Artur Jorge, o poeta da morte. Por acaso, e em muitos casos, é bem feita para alguns dirigentes, que não passam de uns cretinos. Daí ter vindo à memória o inglês John Mortimore. Contratado em 1976, ao modesto Southampton, não passava de um modesto assistente de campo, assim a modo do Carlos Queiroz…hum hum hum.. Mas mais ao menos modesto também tinha sido o curriculum de Jimmy Hagan e depois foi o sucesso que se viu, pensaram e bem os dirigentes encarnados. Privado do viveiro ultramarino, com os ventos da revolução a soprar para norte, com uma sociedade não preparada para a “modernidade”, com jogadores apanhados nas malhas da droga (Vítor Baptista e Barros à cabeça), Mortimore viu-se na contingência de renovar o plantel. Duro e disciplinador, não hesitou em boa hora, de lançar jovens, uns à experiência, outros de forma definitiva. Se necessitava de algum jogador para o plantel, ia ás camadas jovens recruta-lo e lançava-o sem hesitações no plantel principal. Assim jogadores como Chalana, Bastos Lopes, Eurico, Alberto, Shéu, Pereirinha, Cavungi, José Luís, tiveram a oportunidade da sua vida e muitos deles souberam agarra-la. Assim conseguiu Mortimore ganhar mais um título para o Benfica, aparentemente perdido para o scp, tal o avanço que este conseguiu no 1º terço do campeonato. Curiosamente na época seguinte conseguiu a “proeza” de não ser campeão, apesar de não perder um só jogo e ter os mesmos números de pontos que o campeão, FCP. Mais tarde regressaria ao Benfica e com organização e sem grandes estrelas, e praticamente sem reforços, conseguiu a última dobradinha do Benfica, mesmo enfrentado o campeão europeu, FCP. Este possuía uma super equipa, e tinha até pela 1ª vez na história do nosso futebol, um jogador com o valor de 1.000.000 de dólares, o brasileiro Casagrande, valor que na altura era o patamar para ser milionário. É evidente que para tal teve uma retarda de valor, cujo presidente Fernando Martins, se recusou despedir Mortimore quando este foi cilindrado em Alvalade por 7-1. O súbdito de sua majestade percebeu que tinha de dar força ao meio campo e não teve pejo em ir ás reservas buscar um modesto jogador congolês, de nome Tueba, que foi fundamental no renovar do vigor do mio campo encarnado. Isto juntando à vontade e garra dos jogadores simplesmente arrasaram com o fcp. Infelismente por força do título europeu do fcp, a inteligência Benfiquista achou que o Benfica precisava de um treinador com ambição e despediu sem glória John Mortimore para contratar… Ebbe Skovdhal. Homenageio o narigudão Mortimore porque o seu exemplo deverá fazer corar certos doutores da nossa praça futebolística, nomeadamente os treinadores da nova vaga, que onde passam deixam um belo rasto do seu “trabalho”. Pois, quem vem atrás que feche a porta. E quantas portas não se estão a fechar no futebol profissional em Portugal. Até quando?

Quando estamos perto do regresso ao trabalho, e quando o defeso é sempre uma tentação, que sirva de motivação e lição a Jesus e seus pares.

Bola7 falou…

25
Jun
09

Uma estranha forma de masoquismo!

Emprestados, Emprestadados, dispensados e afins…

Quero e gostaria de perceber como é que um QUIQUE FLORES que mostrou ao longo do campeonato que não sabia patavina do futebol Português sabe à partida que jogadores como MAKUKULA, LUÍS FILIPE, ROMEU RIBEIRO, RUBEN LIMA, HALLICHE, entre outros não servem? Não é suposto o treinador ver todos os jogadores do plantel primeiro, e só depois tomar decisões? Há negócios que obviamente não dá para cancelar a meio (empréstimos já a decorrer ou empréstimos de jogadores saídos dos juniores – desde que esses empréstimos garantam a valorização do jogador através de um número mínimo de jogos) mas há também formas do clube que empresta o jogador salvaguardar interesses ou não?

Se somos assim tão grandes, penso que passa por aqui também parte dessa grandeza, ou começamos a mostrar que merecemos respeito, ou então não vamos a lado nenhum. Depois admiramo-nos quando certos dirigentes “inteligentes” que têm tido um histórico recente de bons negócios para os seus clubes a quererem jogadores do BENFICA a custo zero, e admiramo-nos ainda mais quando o BENFICA cede mas está tudo bem, pouco depois já nos esquecemos porque chegam outros craques para nos deixar com água na boca.

Como é que MAKUKULA, que marcou 7 golos em pouco mais de 5 meses a serviço do Marítimo – que diga-se de passagem, não tem tido muitos jogadores a marcar mais de 10 golos todas as épocas – chega ao BENFICA em Janeiro de 2008 e em pouco mais de 2 meses, apesar de “supostamente” ter sido a pedido do treinador na altura não joga mais de 3 ou 4 jogos a titular? Isto depois do clube ter pago mais de 3,5 M de € por ele. Será que o próprio treinador equivocou-se e julgou que estava a pedir um outro jogador e não o que lhe apareceu no plantel pouco depois? Terá esse treinador ou alguém do clube feito uma observação detalhada do jogador em causa? E porque é que esse clube que gastou os tais 3,5 M de € nesse mesmo jogador não pensa em rentabilizar ao máximo essa compra? Seja desportiva ou financeiramente. Rende em campo? Só se pode saber se jogar… mas quantos jogos terá feito o MAKUKULA? Quantos minutos tem de águia ao peito o ARIZA nas pernas? Qual a solução? Emprestá-lo para o mais longe possível e não se importarem com a rentabilização mínima desse negócio, nem sequer garantir um número específico de jogos para o jogador? O porto faz isto constantemente e ninguém se queixa, o Estrela da Amadora até deve ter agradecido essa política do porto nas 2 últimas épocas onde foram potenciados jogadores que irão fazer ou já fazem parte do plantel do porto e por esta altura já valem alguns Milhões e por muito poucos Milhões que sejam, já rentabilizam o investimento inicial do clube neles.

Passo a outros nomes, para não se achar que isto é uma implicância ou fixação com o MAKUKULA. SEPSI é outro excelente exemplo desta política desportiva “maravilhosa”, chegou ao BENFICA e estava completamente tapado por um senhor chamado LÉO, mas que na altura já tinha 32 anos… seria uma questão de tempo e paciência para que este miúdo romeno de quem se dizia ser o melhor lateral esquerdo a jogar no País e com 22 anos, se pudesse tornar no próximo lateral esquerdo titular do BENFICA, mais 1 ou 2 anos no banco a aprender do LÉO e a jogar aqui e ali resolveriam a questão não é? Não se sabe mas era no mínimo o que se podia esperar. Se os Manchesters Uniteds compram os EVRAs e põem-nos no banco na primeira época para se irem habituado, porque é que no BENFICA é que se dispensam miúdos de 22 anos em pouco mais de 6 meses?

Pois, eis que alguém se lembra de o emprestar e ir buscar um jogador que até fez uma grande época mas não a lateral esquerdo mas sim a médio (JORGE RIBEIRO), para essa posição de lateral esquerdo. Quem terá sido a mente brilhante por trás desta ideia? Não sei. A muitos o empréstimo do SEPSI não transtornou nem causou espanto (a alguns se calhar até lhes deu para aplaudirem esse empréstimo); a mim… justamente pelos contornos do negócio, por ver que nem sequer foi um empréstimo que se revelava uma mais-valia em termos financeiros pois a cláusula de opção era pouco mais do que o BENFICA tinha pago por ele. Se fosse um negócio como o que o BENFICA podia ter feito com o MARIA, que não tinha feito 1 minuto pelo clube sequer e já tinha tido ofertas pelo dobro do valor rejeitadas pelo clube, entender-se-ia.

Podia aqui também falar do HALLICHE, de quem muito se fala e se diz que não tem valor porque era o 3º central no Nacional… pois era, mas se calhar interessa mais ao RUI ALVES que tem feito excelentes negócios por aquelas bandas nos últimos anos rentabilizar os 2 brasileiros deles antes de valorizar activos de outros clubes e curiosamente quem tem feito muito isso é o BENFICA que depois por isso mesmo acaba por não conseguir comprar esses jogadores.

É que se não vale nada o tal HALLICHE, como se explica que a certa altura da época era titular (e até chegou a fazer um grande jogo na Luz) e tinha atirado para o banco 1 dos 2 brasileiros de quem todos falam maravilhas? E como se explica ainda que o Sr. RUI ALVES o queira na próxima época mas desta vez não por empréstimo mas sim em definitivo? Será por saber que pode ganhar uns bons trocados com ele ou porque o quer lá até ao final da carreira? E para finalizar, como se explica também que de repente perto do final da época, o HALLICHE desapareceu? Não é estranho? Nem um pouco?

O BENFICA também tem feito bons negócios, mas têm sido tão poucos que é fácil lembrarmo-nos de todos, se falarmos em AMOREIRINHA, JOSÉ FONTE, STRETENOVIC e mais um ou outro, vemos que é possível fazer bons negócios. Talvez porque esses tiveram a sorte de ir para sítios onde puderam jogar alguns jogos e com isso valorizaram-se ao contrário de outros… o tal de STRETENOVIC até tinha vontade de jogar no Benfica e chegou a ser falado para a selecção da Polónia (o clube a que esteve emprestado é Polaco) através de uma naturalização.

O porto também tem a sua quantidade de negócios que não lembram a ninguém e que os portistas mais querem é esquecer: ALESSANDRO, ESQUERDINHA, DA SILVA, LEANDRO DO BONFIM, RUBENS JÚNIOR, KRALJI, WOSNIAK, ERIKSSON, SÖDERSTROM e por aí fora… mas nos últimos anos em que eles têm crescido cada vez mais, contam-se a quantidade de negócios deste calibre. E quem não se lembra dos regressos de empréstimo do porto que lhes tem rendido muito, tanto desportiva como financeiramente: PITBULL, TARIK SEKTIOUI, RICARDO CARVALHO,

Acham mesmo que um Estrela da Amadora prefere apostar num NUNO COELHO ao invés de apostar num jogador seu que lhes possa render algum dinheiro? Mas o que é mais importante para o Estrela? Passar dificuldades e tentar rentabilizar jogadores seus antes sequer de ter estabilidade financeira OU ter no clube jogadores emprestados com alguma experiência, que possam garantir alguns pontos por época e (acima de tudo) por quem não tenham de pagar absolutamente nada (sendo assim menos um problema em termos de jogadores a reclamar salários em atraso e contas por pagar em casa) Acho que as respostas são óbvias. Estou aqui a falar e a elogiar o porto, que reconheço como um clube que luta com outro tipo de armas mas que a nível de competência e Gestão, há que reconhecer também que está Anos-Luz à frente dos outros todos, até mesmo que alguns por essa Europa fora. Vamos ser orgulhosos e fazer diferente só porque somos o BENFICA ou vamos tentar copiar o pouco de bom que podemos copiar deles?

E no fim, não é tudo isto que me espanta mais… mas sim a capacidade dos adeptos de verem para além do óbvio e do concreto. De conseguirem dizer que o jogador X, Y ou Z não vale nada porque não joga onde está, ou porque não fez nada na ano anterior, ou porque com 400 e tal minutos jogados pelo BENFICA, 5 golos marados, e 19 anos conseguem ver que dali não vai sair nada? Ou tipo o BERGESSIO que agora até à selecção da Argentina vai? Se somos os primeiros a desvalorizar os nossos, como querem que os outros os tratem? O melhor exemplo disto e do qual até me ri durante meses (ainda conto esta história a algumas pessoas) foi quando um amigo meu, portista claro, me disse que o MAREK CECH era melhor que o LÉO… na altura nem sequer me consegui rir, apenas calei-me perante tamanho absurdo. Passado bastante tempo finalmente cheguei a uma conclusão, como é que eles não hão-de ser os melhores e fazer os melhores negócios quando são os primeiros a achar os seus jogadores os melhores do mundo? Os negócios à porto de que muito se gosta de falar nos fóruns, blogs e janelas de comentário nos sites de jornais desportivos são isso mesmo… negócios à porto, mas o que é que esses negócios à porto significam mesmo? Que o clube que recebe os jogadores é prejudicado e terá de fazer cedências grandes perante as exigências do clube que empresta não é? Mas estamos malucos ou o quê? Então se eu empresto um CD a um amigo não é no mínimo legítimo que faça exigências também? É estúpido se eu disser: empresto-te o CD mas quero que mo devolvas terça-feira até às 18 horas e SEM nenhum risco e ai de ti se o emprestas a alguém! Afinal de contas fui eu ou não, quem pagou pelo CD inicialmente? É talvez uma analogia demasiado exagerada mas penso que com o mínimo esforço mental… acabará por fazer sentido. Muito penso eu nisto… e nem sequer sou nenhum génio do futebol ou empresário brilhante apenas um adepto que gostaria que o BENFICA conseguisse dar valor aos seus activos.

Finalmente um muito obrigado e uma palavra de apreço ao BOLA7 que infelizmente não conheço pessoalmente e que também por ser um grande Benfiquista encontro muitas vezes no mundo virtual e com quem até já discuti imensas vezes mas sempre com respeito e sempre a pensar no amor que nos une: o BENFICA. Um grande abraço e mais uma vez Obrigado.

Marco Paulo Ferreira falou…

PS: Reside em Maputo, Moçambique

24
Jun
09

Saco de gatos vadios!

 Vigaristas….aldrabões…demagogos…cobardes…incompetentes…é assim hoje o universo encarnado, falando das figuras outrora chamadas pomposamente de notáveis.

Nunca como hoje vivemos um estado de absoluta vegetação desportiva e sobretudo de mística, e nunca como hoje se viu a ausência de valores capazes de inverter a situação de absoluto lamaçal em que todo o mundo mergulhou o clube, isto com a complacência dos adeptos, que aburguesados pelo conforto das cadeiras do novo estádio, e das facilidades dadas pela TV para ver os jogos do clube, a tudo isto limitam-se a encolher os ombros ou a sorrirem das suas agruras, talvez julgando que a conhecida máxima “rir de si próprio é um bom remédio”, passe a marcar golos.

Se não me lembro de ter um presidente mais cretino que este, com a excepção vale tudo, mas este foi um caso paranormal, também nunca vi uma oposição de pessoas tão incompetentes, e mesmo no limite da idiotice como agora.

Há anos que tenho procurado sacudir as águas participando no universo bloguista, na net ou mesmo junto a comunidades encarnadas, tentando sacudir o torpor inacreditável que se abateu sobre todos, na vã esperança do surgimento de algo que acorde a nação encarnada.

Há pouco tempo tive conhecimento em 1ª mão do surgimento de um movimento que dizia capaz de finalmente criar alternativa ao status quo.

Estranhei desde logo um certo secretismo, porque de secreto pouco tinha, bastava perguntar ás pessoas certas e logo ficava informado de tudo, e mais, que raio de secretismo era esse quando pessoas conotadas com a direcção eram postas ao corrente das intenções do dito movimento.

Diziam-me para passar palavra apenas a pessoas de confiança, mas atendendo ao atrás escrito julguei que tudo não passaria de manobra para enganar o adversário, dando a entender fragilidades que o levassem a cometer algum erro.

Desde logo soube que LFV iria fazer o golpe do baú da antecipação eleitoral, e pensei que isso até serviria á estratégia da oposição, pois mais a mais seria um excelente argumento para mostrar os…argumentos.

Para espanto meu, o chamado movimento mostrou-se digno dos maiores estarolas do planeta. Afinal não estavam mesmo nada preparados. Fiquei siderado. Mas o pessoal é parvo. Então não sabiam antecipar a situação, quando mesmo já sabiam que ela ia decorrer dessa forma? O amadorismo posto em prática foi de uma dimensão absolutamente ridícula. Mas afinal que estavam eles á espera? Disse-me alguém, e eu na altura não acreditei, que o movimento apenas tinha 3 semanas. E era mesmo verdade. Mas afinal que andaram esses crls este tempo todo a fazer? Alguma vez existiu a possibilidade, resultante do péssimo momento encarnado a todos os níveis, de criar-se uma alternativa credível e capaz de vencer sem grandes problemas o pobre LFV, como hoje? Vão pró raio que os parta, esses cretinos e o seu amadorismo. Mas quando o homem charneira desse movimento chama-se Veiga, se calhar a resposta encontra-se aqui. E estavam á espera que um profissional competente como Moniz se juntasse a alguma dessa gente?

Mas o que mais me aborrece até nem o amadorismo bacoco de certa gente. O que me aborrece solenemente é cobardia de certos notáveis, gente reconhecidamente competente em diversas áreas, cujo perfil é até respeitado por muitos vieiristas militantes, que escudaram-se atrás de pobres adeptos com convicções, instigando-os a actuarem contra a direcção com atitudes dilatórias, mas escudando-se na clandestinidade, porque não lhes convém mostrar-se, tentando fazer dessas pessoas os bodes expiatórios de tudo o que pudesse correr mal.

É nestes momentos que se vê o carácter das pessoas. Se digo que LFV e seus acólitos têm um carácter duvidoso, muito boa gente na oposição, ou semi-oposição, ou raio que parta, são sem duvida alguma, gente sem carácter.

Pobre clube que caminhas alegremente para o degredo.

 

Bola7 falou…

23
Jun
09

Demite-te pateta!

Desde sempre me habituei…se calhar até aprendi a ler…lendo o Jornal A Bola.

Referencia do jornalismo desportivo e não só, apesar de ser visto de soslaio por uma certa elite jornalista, mais assente na inveja que na razão, era também uma fonte de informação sobre outros mundos, numa altura que a comunicação social sofria as agruras do lápis azul.

Mesmo depois do 25 de Abril, apesar de forte influencia esquerdista, feita até, de uma propaganda do sistema desportivo de leste, com muitos jornalistas a serem levados na ladainha da glorificação do desporto marxista, especialmente da RDA, sempre procurou ter uma vertente pedagógica, tentando na vertente desportiva uma informação plural e independente.

Jornalistas como Cândido de Oliveira, Ribeiro dos Reis, Carlos Pinhão, Homero Serpa, Vítor Santos eram lidos avidamente por todos, concordando ou não com as suas opiniões. Na altura, alguns que hoje são considerados e ouvidos por tudo o que é media, não passavam de meros aprendizes, e alguns deles nunca passariam disso se a lei da vida não prevalecesse.

A A Bola foi sempre conhecido pela sua isenção e RIGOR. Podia-se nãpo gostar, mas isto ninguém negava.

E foi a lei da vida que levou à direcção do jornal um individuo que rotulo sem pudor de pateta. Nunca o jornal teve tão triste figura a dirigi-lo. Numeroso motivo me dariam para estar aqui a escrever, mas fixo-me em especial na relação Vítor Serpa, pinto da costa, com 2 pequenos exemplo.

Primeiro quando o fcp cortou qualquer relação entre o jornal e o clube, tendo o jornal mendigado vergonhosamente para poder reatar relações com o clube a norte do douro.

Depois ficaram amicíssimos, pois claro. Nada como encher o bandulho e beber uns copitos, com umas promessas de algumas notícias em 1ª mão e pronto…

Um belo dia o jornal publicou em grande parangonas a contratação pelo Benfica do extremo sadino, Marco Ferreira. Nesse mesmo dia o fcp acertava o contrato com o jogador por 4 épocas, por vontade de Mourinho. E foi ver o desprezo que pc tem pelos escovas como Vítor Serpa, quando saiu da garagem do estádio das antas com a 1ª página do jornal escarrapachada no tablier do carro, que o transportava, mais o jogador.

No dia seguinte Vítor Serpa chorava baba e ranho, dizendo-se traído e ridicularizado na amizade que julgava ter de pinto da costa. Chegou a relembrar que este até tinha proclamado uns sonetos poéticos aquando de uma homenagem à sua pessoa.

É esta espécie de indivíduo, pateta como ninguém que colocou aquela que foi a maior instituição da escrita nacional, ao serviço de interesses mais que evidentes, nomeadamente na novela sobre a quase candidatura de Moniz, à presidência do Benfica, sendo hoje mesmo ridicularizado por um dos seus colaboradores, numa página do jornal que dirige.

Pateta do caraças, tem vergonha e demite-te…




Bola7Inc

Junho 2009
S T Q Q S S D
« Maio   Jul »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Estatisticas

  • 940,225 Visitas
Free counters!

Sondagens

Top de classificação

Páginas

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 43 outros seguidores