Arquivo de Setembro, 2010

30
Set
10

Falta de estofo e classe!

Este Benfica não tem neste momento dimensão internacional, pois o seu plantel não tem a mínima classe para jogar na Champions. Se no ano passado contando ainda com a presença de Di Maria e Ramirez ele já era curto, este ano é vergonhoso levar esta equipa a defrontar os gigantes europeus com a baixa qualidade do plantel em geral.

Só mesmo na cabeça de gente sem o mínimo juízo com o são Vieira, Rui Costa e JJ é que tal pode acontecer.

Estou-me perfeitamente borrifando para o facto da minha opinião incomodar muita gente que julga que um blog deve ser a extensão da visão parola e propagandista da direcção da SAD, mas eu cá penso pela minha cabeça e graças a Deus ainda percebo alguma coisa de futebol, por isso não contem comigo para fazer parte de algum rebanho de ovelhas.

Dizem-me que sou negativista e coisa e tal. Às vezes tenho de fazer um grande esforço por não me aborrecer, porque o pessoal parece que anda noutro planeta que não a Terra, e, ou não tem consciência das coisas, ou então anda querer gozar-me.

Certas cabeças pensantes espantam-se pelo facto do Benfica não ter qualidade quando só perdeu 2 jogadores. Se a estupidez fosse musica, trombones não faltariam. Mas será que esta gente que ganha fortunas a dizer disparates ainda não percebeu que o Benfica era uma máquina quase perfeita no ano passado porque podia contar com todos os jogadores, entre os quais o DiMaria e o Ramirez? Que qual máquina, a falta de duas peças é suficiente para emperrar todo o mecanismo? È assim tão difícil de perceber? Perceber que cada jogador era uma peça única, com qualidade extra, que tinha uma função específica e fundamental na tal máquina?

Mas que a maioria dos adeptos ou comentadores não perceba isso eu ainda compreendo, pois em especial os adeptos não são obrigados a serem especialistas na matéria. Mas agora que os mais altos responsáveis do Benfica, em especial os Srs. Vieira, Rui Costa e JJ sejam absolutamente incompetentes…calhaus mesmo, como se diz no norte….aí a coisa pia fino.

Como diabo alguém como JJ sonha fazer boa figura na Champions quando faz a última jogada de ataque decente aos 13 minutos…da 1ª parte?

Começou bem o Benfica contra uma equipa, com alguns bons jogadores é certo, mas de um colectivo medíocre, uma das piores equipas alemães que já vi, com boa colocação no terreno, pressionando alto, pondo a nu as debilidades do sector defensivo alemão. Durante meia hora o domínio foi encarnado e depois, tal qual bom samaritano, resolveu dar chances dos alemães partilharem o jogo. Nessa altura já eu tinha percebido que com Carlos Martins a comandar o jogo não iríamos longe. A este jogador falta-lhe fiabilidade para aquela posição. É demasiado eléctrico, tem nervo mas falta-lhe classe. Se no pior momento do Schalke não conseguiu impor o jogo do Benfica, quando este começasse a tentar disputar o jogo muito pior seria. Meu dito, meu feito. E o final da 1ª parte terminou com um sério aviso nos pés de Raul, que levou a bola ao poste com consequente recarga e excepcional defesa de Roberto.

Mas a culpa estava longe de ser só do Martins. Tirando um excelente Javi Garcia, os outros 2 comparsas na equipa, Coentrão e em especial Gaitan não davam uma para a caixa. JJ percebeu que tinha de mudar alguma coisa. E quando pensei que trocasse Gaitan por Aimar, colocando Martins mais à direita, lança em campo o proscrito de Madrid, o argentino Salvio.

Este entrando cheio de gás pareceu implementar alguma vivacidade à equipa, mas qual balão começou a esvaziar-se e aderiu à mediocridade geral. Depois JJ resolveu dar um ar da sua graça contribuindo para parvoíce geral tirando Saviola e metendo o Aimar para uma posição…sei lá que posição. Ás tantas o Benfica tinha 2 armadores de jogo a disputarem a posição e a armarem o jogo não sei para quem.

Confusão absoluta em campo e os alemães a sonharem em aproveitar qualquer coisa e quem sabe o absurdo de ainda ganharem o jogo. Os jogadores do Benfica iam à frente e não recuperavam. Cada contra golpe alemão tinha sempre mais jogadores que defensores encarnados. Javi Garcia parecia o xico pião rodando como um louco a procurar estancar a hemorragia no meio campo, que em teoria teria 5 elementos mas que se limitava a 1 a defender.

Enquanto a defesa se comportou à altura a coisa ainda se compôs. O pior foi quando a falta de qualidade de um, e a soberba de outro perdeu a equipa. O final foi penoso e vergonhoso demais para ser verdade. Até deu para ver alguns dos medíocres jogadores alemães a darem mais de 2 toques na bola como se fossem jogadores de elevado recorte técnico.

A mediocridade de alguns jogadores do plantel encarnado, e a falta de opções foi bem evidente ontem.

No ponto de vista individual apenas um seguro Roberto, um excepcional Luisão, e um esforçadíssimo Javi Garcia mereceriam uma palmada carinhosa nas costas. Os outros estivem francamente mal. Maxi que corte o cabelo que aquele penteado é revelador da péssima forma do homem. Cansa vê-lo a fazer faltas aos magotes porque não tem nem rapidez nem pernas para quem quer que seja.  No outro lado Peixoto até estava a jogar bem. Olhem, bem melhor que Coentrão. Mas quando “se mostrou” verdadeiramente no 1º golo, tudo se desmoronou como um castelo de cartas. Se JJ tivesse opções nunca mais ele jogaria no Benfica. Não porque falhou aquele lance mas pela sequência que deu ao jogo. Começou a perder bolas sem jeito, e pior que isso, a não reagir, olhando para o chão como um pateta. Só faltou chorar para a Diana Chaves entrar e cena para o consolar. Haja paciência.

Ao David Luiz um dia tinha de acontecer algo parecido. Tantas vezes foi o cântaro à fonte que tinha de partir.

No meio campo esteve o segredo do fracasso, pois além do já falado Carlos Martins, Gaitan mostrou que não tem neste momento categoria para jogar no Benfica. Tem boa qualidade de passe, mas é demasiado mole no confronto directo, metendo o pé a medo, não ganhado um duelo individual. Ao Coentrão parece-me que o peso do aumento lhe tolheu os movimentos. Continuo na minha…ele não tem nem de perto nem de longe a qualidade de Di Maria para jogar a extremo. Mais, ele tem um futuro brilhantíssimo como lateral esquerdo, não como extremo. Quando ele não consegue ganhar o duelo com um pobre japonês está tudo dito. Na frente uma banalidade atroz. Cardozo e Saviola foram presas fáceis para uns medíocres defensores, onde um raio de um grego sozinho chegou para eles todos.

Que esperar no futuro. Nada de mais. O Benfica desta época vai ser este…globalmente medíocre com alguns momentos de de qualidade, para animar a malta, mas que se limitará a fazer figura de 2ª nas provas em que está inserido. E pouco adiantará as fanfarronices de Vieira e de JJ, pois palavras levam o vento…e pontos também.

PS: Ó JJ, vê se falas menos de uma vez por todas. À aquela de que o Hapoel é boa equipa e vai roubar alguns pontos respondo eu que esses pontos se calhar só serão roubados ao…Benfica…

29
Set
10

A Praga Alemã!

Desde sempre, país onde o Benfica quase sempre regressa com grande melão, é a Alemanha.

Esta relação horribilis já dura há muito tempo. Que me lembre começou nos anos gloriosos das vitórias europeias. Há quase 50 anos atrás, na caminhada para a 2ª taça dos campeões o Nuremberg, mais conhecida em Portugal pelos famosos julgamentos de nazis que pelo seu clube de futebol, teve a audácia de replicar com 3 golos ao golo inaugural de Cávem. Na Luz Eusébio e seus pares aborreceram-se e golearam os pobres germânicos por 6-0 e mais não foram porque eram precisos para a final com o Real Madrid.

Mais tarde os alemães fazendo pacto com algum demónio qualquer, na pele do Dortmund, deram um aviso ao perderem por apenas 2-1 na Luz. Em Dortmund os jogadores do Benfica vendidos por alguma letargia demoníaca foram literalmente pulverizados pelo futebol tipo blitzkrieg. Eu ainda bem jovem, assisti ao jogo na taberna do Ti Faustino e nem percebi bem o que aconteceu. Só me lembro do velho Arnaldo Carolo pegar fogo a um barracão no fundo do seu quintal em desespero. Foi nesse dia que descobriram que o pacato homem era benfiquista.

Estando de férias da labuta em África, julgo que em 1975, encontrava-me em Portugal quando o Benfica foi jogar à Alemanha contra o novo rei da Europa, o Bayern Munique, de Mayer, Bekenbauer, Romeninge, Hoeness, e outros tantos. Depois do empate a zero na Luz o nulo ao intervalo dava esperanças para o resto do desafio. O pior foi o intervalo. Não sei o que raio eles fizeram mas a equipa que regressou em campo tinha no seu seio alguém em estado de perfeita loucura…o meu conterrâneo Barros, que se não bebeu um pipo de vinho no balneário, pareceu. O homem só fez disparates e afundou a equipa numa goleada inexplicável. Jordão ainda marcou o que seria o 1-0 se o fiscal de linha não fosse zarolho. Depois dos alemães marcarem 3, Néné de cabeça ainda deu efémera esperança. Mas pobre Zé gato, eles surgiam-lhe pela frente aos magotes, enquanto o Barros parecia estar e estado de hibernação. A carreira dele também nunca mais foi a mesma, consumida pela droga e álcool.

Em 1980/1981 depois de finalmente obter um bom resultado em terras do kaiser, quando conseguiu um excelente 2-2 em Düsseldorf dos irmãos Allofs, no qual Humberto Coelho mostrou toda a sua excepcional excelência no jogo aéreo, lá foi o Benfica jogar ao leste da Alemanha, à terra das lentes, Yena, contra o seu clube bandeira, o Carl Zeiss. E contra todas as expectativas o Benfica perde o jogo de uma forma estranha, com os estranhos alemães de leste, por 2-0. “Malditos comunas” –  foi o grito de ordem, “quando cá vierem vão comer forte  efeito”. Bem que o Benfica jogou como um louco, com Chalana a fazer miséria, mas Reinaldo falhou mais golos que Cardozo na madeira e lá foi a final da falecida taça das taças à vida.

Enfim, ir à Alemanha é uma seca do caraças. Mais uma vez lá temos o raio dos “boches” pela frente. Este é o jogo típico para perder, diz-me a intuição. Clube alemão em dificuldades no seu campeonato, que valha a verdade é dos mais democratas que existem no mundo, onde um pobre debutante na 1ª liga pode ser candidato ao título como à descida com a obrigatoriedade de ganhar, porque o jogo em França já lhes levou 3 pontos, é o pior que podia surgir ao Benfica neste momento. Tem excelentes jogadores, um deles o excepcional Raul. Velho, dirão alguns, mas eu acho que é o jogador ideal para estes momentos. Qual o jogo e a equipa ideal para dar a volta à situação? …o grande Benfica pois claro.

Em 1994 encontrava-me a bordo de um navio “supply vessel” em reparações no porto de Hamburgo, quando fui incentivado pelo meu amigo galego Carlos Aureliano Estevez Garcia Fernandez, conhecido pelo Totó, pela sua semelhança facial com famoso actor, para irmos a Leverkusen ver o Glorioso. De imediato o brasuca “Zico” Mariano…pus-lhe essa alcunha porque nunca vi brasileiro tão rafeiro a jogar futebol em toda a minha vida…  alinhou na ideia e lá fizemos mais de 400km a caminho do velho Ulrich-Haberland. Com a habitual lábia brasuca o “Zico” lá conseguiu 3 ingressos mesmo em cima da hora do jogo, e lá entramos para junto dos adeptos alemães. Para azar dos infernos, longe dos nossos compatriotas.

Depois de eliminada a sede que nos consumia lá assistimos com entusiasmo a cavalgada do Glorioso superiormente comandado pelo jovem Rui Costa, em contra ponto com o presunçoso veterano Schuster. Nunca gostei do gajo, vaidoso demais para o meu gosto, evidente na forma como desdenhou a sua própria selecção, mesmo quando suplicaram pelo seu regresso. Ao intervalo 1-0 para o boches com o golo do “comuna” Kirsten, o pateta que teve medo de vir para o Benfica. Ao intervalo o galego “totó”, que falava razoavelmente alemão, fenómeno entre os espanhóis que mal sabem falar a sua língua parola, traduzia as bazófias germânicas, enquanto molhávamos as gargantas ressequidas.

O pior foi depois do intervalo quando o raio do Schuster fez o 2-0. Quase nem dei pelo 2-1 porque nesse momento estava já estava agarrado ao pescoço de um boche e só os gritos dos nossos compatriotas me fizerem voltar a atenção para o jogo. Miserável  traidor do boche que aproveitou a deixa para me dar com um guarda-chuva na cabeça enquanto se escapulia. Logo a seguir golpe de teatro com o pequeno João Pinto a marcar de cabeça o empate. A partir daí o estádio que estava à pinha, tinha uma clareira…à minha volta e dos meus amigos o pessoal, preferindo uma retirada estratégica. Com o 3-2 do vodka Kulkov, foi a loucura. O brasuca “Zico” ria-se e insultava os alemães, o galego enviava “cornos” para todos os lados e eu… já nem me lembro do que fazia.

Mas não é que a 10 minutos do final do jogo, quando fazíamos conjecturas para as meias finais, o pequeno brasileiro Paulo Sérgio passando pelo Abel Xavier de mota enquanto este tentava alcançar os pedais da bicicleta, entregava o golo ao “comuna”, até me caíram os ditos cujos. Quando o animal do checo Hapal fez o 4-3 ia-me dando a filoxera. Então quando um adepto alemão baixou as calças e mostrou-nos o cú rançoso, passamo-nos dos carretos, tentando chegar ao desaforado, levando à intervenção da policia. Após uma valentes bastonadas que até vi estrelas juro que vi a pairar sobre o estádio o espírito de velhas glórias encarnadas. Foi quando tomei atenção ao jogo outra vez, e vi o Silvino a correr pela lateral a incentivar com os punhos o excelente Vítor Paneira. E nesse instante acreditei ser possível ainda marcar. Os alemães berravam mas era possível ver a angustia nos seus rostos. E logo de imediato João Pinto faz passe mortal para o tolo do russo Kulkov que fuzila sem dó nem piedade. Foi o fim da macacada. Choramos e berramos como loucos. O Pior foi que o galego entusiasmou-se demasiado e baixando as calças mostrou as partes baixas aos alimões. Só vi o final do jogo porque o resto foi um escarcéu danado. A polícia retirou-nos de dentro estádio sob uma chuva de latas e outros “mísseis”, enquanto fazíamos o V de vitória. Por incrível que pareça a policia não estava para nos aturar, e meteu-nos no carro despachando-nos em direcção à auto-estrada. Cheios de hematomas mas que lixe…passamos.

Bola7 falou…

29
Set
10

Saudades do cheio de fome!

E quando me lembro que a maioria do pessoal queria vende-lo por meia dúzia de tostões…

Abono de família de um Real Madrid cuja dupla de avançados, Higuain e Ronaldo têm posto os adeptos com os cabelos em pé.

Bola 7 falou…

28
Set
10

Tem calma ó Jesus!

Voltou a conversa feita bazófia? Eu também acredito que o Benfica tem de possuir a ambição dos grandes mas não me parece que seja este o momento para isso. Há que sarar as feridas deste miserável começo de época recordista em estupidez e consequentes maus resultados.

Dizer que o quartos de finais da champions é o objectivo nesta fase demonstra pouco bom senso.

E que depois das vitórias na pré-época a conversa era a que este Benfica seria imparável. E foi o que se viu.

Parece que a lição não foi aprendida. E aquela ideia que o ano passado mais não foi feito na UEFA porque havia a necessidade imperiosa de ganhar a liga nacional, faz-me lembrar um pouco o passado, quando o “tintin” Koeman foi treinador, preterindo a nossa liga pela champions…enfim…

Bola7 falou…

28
Set
10

Prémio lata do cara…caraças!

…é para…pinto da costa com a frase…”nunca ganhamos nos tuneis”…

Afinal todo o mundo sabe que, por exemplo, aquele episódio em que os dirigentes do Sport Lisboa e Benfica agredidos no túnel das antas, obrigando a sua saída do estádio dentro de uma ambulância foi pura ficção…bem, aqui até tem razão…apesar da creolina e coisa e tal foi dado a César o que era de César…2 golos para o titulo. Se me pusesse aqui a descrever os diversos “túneis” azuis e brancos, escrevia um testamento, mas a altura é de prémio…lata do cra…caraças! parabéns, os artolas aplaudem a “fina ironia”.

Bola7 falou…

27
Set
10

Caxineiro renova!

COMUNICADO

A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD, em cumprimento do disposto no artigo 248.º do Código dos Valores Mobiliários, vem informar que prolongou o contrato de trabalho desportivo que liga a Sociedade ao atleta Fábio Alexandre da Silva Coentrão por mais 1 (uma) época desportiva, ou seja, até 30 de Junho de 2016.

Mais se informa que o montante da cláusula de rescisão expressa no referido contrato de trabalho desportivo é de € 30.000.000 (trinta milhões de euros).

O Conselho de Administração
27 de Setembro de 2010

CMVM – Coentrão

Quem te viu, quem te vê. Sim senhor. Cuidado com o dinheiro nino…

PS: mais um ano e mesmo clausula…não sei porquê o aumento do tempo de contrato…se for para o vender não há clausula que resista…

Bola7 falou…

27
Set
10

Não havia necessidade!

Pois, quem não marca acaba por sofrer. Pensamento da esmagadora maioria dos adeptos encarnados no final da tarde de sábado.

Os falhanços dos diversos jogadores, em especial os avançados, na cara do golo, raiaram o escândalo. Não se admite que uma equipa que possa estar a ganhar ao intervalo por uma margem confortável tenha de esperar uma hora para o golinho salvador. E depois anida tenhamos de levar com os 10 minutos finais de algum sofrimento, porque uma bola perdida ás vezes pode correr mal.

Com a dupla possível na esquerda, Coentrão e Peixoto, JJ lançou a surpresa Gaitan a interior direito, possivelmente o melhor lugar para ele jogar neste momento. O resto tudo muito igual, na esquematização e forma do jogo encarnado, com uma melhor qualidade, já visível nos últimos jogos, mas longe do patamar, possivelmente inacessível, do ano anterior.

A “brilhante” estruturação do plantel encarnado obriga JJ a espremer ao máximo o plantel, sem hesitações, pois não há margem para erros. E assim temos uma ala esquerda que não é pão nem manteiga. Nem são defesas esquerdos nem são alas esquerdos…ou são ambos. Coentrão diz que o que conta é jogar, mas todos sabemos que a sistematização é melhor forma de trabalhar um jovem jogador, coisa que não está acontecer neste momento.

De qualquer forma a equipa procurou o golo, empurrando a equipa do marítimo para a sua área, sob o comando de um Carlos Martins, mais calmo e mais cerebral, e contando finalmente com um “regressado” Saviola, cuja movimentação para as zonas mais intermédias, permitia uma maior fluidez no jogo encarnado. Essa movimentação provoca rupturas na defesa contrária, porque se o defesa que o marca o acompanhar, abre na certa um buraco enorme na sua defesa, permitindo a entrada dos médios encarnados nesses espaços, como aconteceu amiúde com Coentrão e Gaitan.

Pena foi que faltasse a componente fundamental do jogo de futebol, que muitos esquecem-se, que é o golo. Se Cardozo esteve irreconhecível, também Saviola esteve mal neste capítulo. O problema deste jogo a ser revisto no futuro, reside na pouco intensidade de jogo de Gaitan, que tem pormenores interessantes, mas quem tem demasiados hiatos durante os 90 minutos.  Aliás parece-me ainda demasiado mole na forma como aborda os confrontos individuais, perdendo alguns por falta de “nervo”.

Nervos à flor da pele ficou JJ com o matador Cardozo, que ainda mata é o treinador e os adeptos com a sua inépcia. Mas julgo que o que aconteceu é reflexo da classificação geral. Acredito que se o Benfica tivesse pelo menos mais uns 6 pontinhos como deveria ter, provavelmente as bolas teriam entrado com naturalidade, e o Benfica saía da Madeira com mais um goleada no bornal.

Preocupante para mim foram duas situações que revi neste jogo…a falta de soluções do Benfica para algumas posições e a falta de nível das equipas da 1ª liga este ano. No primeiro caso já falei do caso da ala esquerda, mas não fico por aqui. As contratações não me convencem muito. Se Roberto qual personagem de um filme dramático, tenta com enorme esforço, reconheça-se, passar de vilão a herói, tendo feito uma exibição bem conseguida, Gaitan como já disse foi intermitente e Jara não me parece com qualidade para jogar no Benfica, pelo menos neste momento. A entrada dele em campo foi uma paródia ao mal jogar. Perdeu bolas aos magotes, não acertou passe, enfim, o Benfica passou a jogar com 10 jogadores, daí os 10 minutos finais de uma certa instabilidade no jogo encarnado.

Por falar nisto, que aconteceu ao Weldon e Nuno Gomes? Não seria mais importante em vez de ter jovens imaturos em campo, lançar da experiência nestes momentos? São algumas das coisas que nunca perceberei em JJ. E se alguns jogadores já elevaram os seus patamares de qualidade, como o Luisão por exemplo, Maxi Pereira continua numa forma lastimável, resultado da excepcional prestação do seu Uruguai no Mundial.

Quanto ao nível das restantes equipas da 1ª liga, pouco há a fazer. Elas jogam pouco e quando enfrentam o fcp já dão o jogo como perdido, por isso não consigo perceber como vamos recuperar os 9 pontos em atraso. Ri-me no outro dia com as queixas de Mourinho sobre este tema, mas em versão espanhola. Ele já se esqueceu que treinou o fcp…mas se em Espanha tal pode acontecer, apesar da qualidade extra da Liga espanhola, quanto mais na nossa liga.

Mas também o Benfica não se pode queixar muito. Este pobre Marítimo que enfrentou o Benfica é caso misterioso. Como raio uma equipa que defende tão mal só sofre um golo por jogo? Será que tem tido a “sorte” de sábado em todos os jogos? Mistério.

Agora há que dar tudo por tudo 4ª feira e depois “arrebentar” domingo com o Braga. Não há descanso, pé na tábua que se faz tarde.

Bola7 falou…




Bola7Inc

Setembro 2010
S T Q Q S S D
« Ago   Out »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Estatisticas

  • 940,369 Visitas
Free counters!

Sondagens

Top de classificação

Páginas

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 43 outros seguidores