06
Jan
11

Com papas e bolos se enganam tolos!

Finanças Sport Lisboa e Benfica para meditar!

Este gráfico mostra a quantidade de dinheiro que o Benfica despende todos os anos com juros. O grande aumento no ano passado foi devido à incorporação da Benfica Estádio, que também tem juros associados à sua dívida. De qualquer forma a tendência de crescimento mesmo sem o estádio é visível nos anos anteriores, e é preocupante porque estes custos são imputados após os resultados operacionais, que já de si são quase sempre negativos. Ora uma sociedade que nem sequer tem uma actividade económica positiva, não pode de todo ter o seu endividamento a crescer, e os respectivos encargos com juros a aumentar também.

Este gráfico mostra os montantes que têm entrado na tesouraria todos os anos provenientes de empréstimos, dos mais variados tipos. Desde empréstimos clássicos para equilíbrio de tesouraria, até soluções diferentes como a emissão de papel comercial. O valor sempre a aumentar explica-se com o facto do Benfica para pagar empréstimos que vencem, ter de pedir emprestado para os pagar… e pede sempre emprestado valores acima dos que vencem porque não só tem de pagar os que vencem, como os seus juros (que também não arranja forma de pagar pela vertente da actividade económica) como ainda precisa de tapar o desequilíbrio da SAD que tem ocorrido.

Este gráfico mostra a quantidade de capital social que já foi engolido pelos prejuízos da SAD. A altura total das barras é a quantidade de capital social (75M€ até ao ano passado, depois passou para 115M€ com a incorporação do estádio), e a parte vermelha é a parte de capital que efectivamente ainda temos… em 2009 tivemos até capitais negativos (portanto o passivo foi superior ao activo). Essa situação ainda se corrigiu com a entrada do estádio, mas mesmo apesar da incorporação do maior activo do grupo Benfica, a percentagem de capital que ainda temos daquilo que é o capital social (o capital inicial portanto), é inferior a 10%. Os prejuízos têm comido uma fatia crescente do capital social, e estamos muito perto da falência técnica… é quando a parte vermelha se extinguir.

Por último, este gráfico mostra uma espécie de cálculo do défice do estado, aplicado à SAD. Relaciona-se os prejuízos de cada ano (quando é 0, foram anos de lucro), com o total de proveitos houve… sejam eles operacionais (decorrentes da actividade económica), sejam eles proveitos financeiros (aplicações de capital) ou proveitos extraordinários (alienações de jogadores, por exemplo). Ou seja, por exemplo em 2008/09 o Benfica teve um prejuízo que equivaleu em valor absoluto a praticamente 70% do total dos proveitos! Imaginam o estado a ter um défice nas suas contas de 70%?

Fonte: Relatórios e contas de 2002/2003 a 2009/2010

Com a colaboração de um amigo , Bola7 falou…

Anúncios

6 Responses to “Com papas e bolos se enganam tolos!”


  1. 1 Preacher
    06/01/2011 às 16:40

    Falta algo de muito importante nesse diagnóstico, a fonte da informação de base para produzir os gráficos. Penso que será do relatório e contas do SLB, mas convinha meter, de modo a não dar aportunidade a especulações e distorções do post.

  2. 2 Tosta Mística
    06/01/2011 às 17:38

    Falta, na minha perspectiva uma questão essencial: o financiamento foi gasto em quê?

    – cobertura de prejuizos => Mau Maria, a casa está podre;

    – investimento em activos reprodutivos com “pouco” risco => estamos no bom caminho. Num exercicio simples de vendas de activos: D Luiz 30 M + Coentrão 30 M + Luisão 10 M + Javi 10 M + Kardec 5 M + Cardoso 15 M = 100 Milhões, cobre grande parte do endividamento (não entrando na questão % de passes na mão do Benfica);

    E além disso:

    – a maturidade da divida: A componente estádio será para ser amortizada em vários anos, naturalmente;

    Mas a conclusão é clara: o futebol não é uma actividade rentável e todos os clubes grandes se endividam perigosamente.

    Haveria também que considerar o efeito que a renovação dos direitos televisivos terá a curto prazo sobre o endividamento.

    Independentemente do maior ou menor mérito da gestão LFV (discussão interminável), vejo aqui claramente o motivo porque não aparecem mais candidaturas à presidência sólidas e sustentadas – não é fácil conseguir alimentar e gerir este Monstro.

    Parabéns pelo excelente trabalho e paciência!

  3. 3 Hugo Miguel Franco
    06/01/2011 às 23:05

    Parabéns!
    Enormes Parabéns!!

    Pelo trabalho e por ainda acreditar que os factos, assim ilustrados e apesar das margens de erro, vão mudar as mentalidades.

    Proponho a elaboração dos rescaldos da década.
    a.Dos presidentes (um fugido em Londres com uma queixa de desvio de 5 milhões de Contos, ou seja a venda de um Di Maria).

    b.Das conquistas internas

    c.Da prestação europeia.
    De uma acentada só recordar que somos a única equipa europeia a vencer os dois de Liverpool em Inglaterra. As vergonhas de Atenas contra o Olympiacos e o AEK, Krasnovar contra o CSKA, Tel-Haviv, perder em Getafe. Ganhar em Marselha.

    É preciso que os Benfiquistas se recordem, na década de 2000-2010 apenas um campeão português não foi a umas meias-finais, o Benfica.
    Boavista, meias.finais Uefa.
    SCP uma final Uefa
    FCP duas finais.

  4. 4 tabakaebola
    07/01/2011 às 10:19

    Pena ninguém perceber de economia neste país…comentários tá quieto.

    • 5 Tosta Mística
      07/01/2011 às 12:34

      Deixa lá, é só esperares mais uns dias pelo FMI…

  5. 6 Tosta Mística
    07/01/2011 às 20:52

    SOBRE A RELEVÂNCIA DAS RECEITAS TELEVISIVAS:

    Futebol gerou €15,7 mil milhões em 2010

    Mesmo num ano de crise económica, o negócio do futebol cresceu 7% em 2010, tendo do gerado mais mil milhões de euros de receitas do que no ano anterior

    Isabel Paulo (www.expresso.pt)

    Emanuel Medeiros, diretor-geral executivo da EPFL (Associção das Ligas Europeias de Futebol Profissional), divulgou, ontem, em Lisboa, que futebol voltou a registar um crescimento de 7% em 2010, uma média constante ao longo dos últimos anos.
    Apesar dos tempos difíceis que a Europa atravessa, Emanuel Medeiros está confiante que a actividade do futebol ainda tem margem de crescimento, prevendo de novo um aumento de receitas para 2011.
    O diretor-geral executivo das Ligas Europeias justifica o crescimento de receitas com o interesse cada vez mais global pelo futebol europeu, traduzido nos valores crescentes das receitas televisivas.
    Regulamentar as apostas

    Para esta época e próximos anos, Emanuel Medeiros sustenta ser urgente e indispensável para manter o sucesso do futebol que as apostas online sejam regulamentadas em todos os países-membros da UEFA, entre eles Portugal.
    O responsável pelas Ligas Europeias refere que, em Portugal, o mercado as apostas online vale entre 500 a 600 milhões de euros/ano, “uma fonte de receita importante e que o Estado não pode continuar a desbaratar, quando se debate com dificulades financeiras gritantes”.
    De acordo com Emanuel Medeiros, os clubes têm todo o direito de receber dividentos das apostas desportivas online, pois são os seus nomes e resultados – “até agora pilhados” – que sustentam esta actividade.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Bola7Inc

Janeiro 2011
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Estatisticas

  • 940,765 Visitas
Free counters!

Sondagens

Top de classificação

Páginas

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 43 outros seguidores


%d bloggers like this: