Arquivo de Setembro, 2011

30
Set
11

Paga, caloteiro!

Em comunicado publicado ontem na sua página oficial, o Standard de Liège acusou o FC Porto de ainda não ter cumprido com as obrigações financeiras a propósito do pagamento dos passes de Steven Defour e Eliaquim Mangala, adquiridos a meio de Agosto por 6 e 6,5 milhões de euros, respectivamente.

O clube belga não pormenoriza o valor da parcela em falta e lamenta que os dragões não respondam às tentativas de contacto. “O FC Porto é um grande clube europeu em termos de ranking, mas pequeno no tratamento destas questões, porque se não tinha capacidade financeira para adquirir dois dos nossos melhores jogadores, não deviam ter negociado e a esta hora eles estariam aqui ou já teriam assinado por outro clube. Não se preocuparam em dar-nos uma explicação, apesar das nossas inúmeras tentativas para chegar à fala com algum responsável”, queixou-se Pierre François, director-geral do clube, a O JOGO.

Para o Standard de Liège, a afronta é maior na medida em que, segundo François, os dois jogadores viram a saída da Bélgica facilitada. “O Standard enviou os certificados internacionais dos jogadores, mas o FC Porto não cumpriu com as suas obrigações de pagamento. O Standard não tem a dimensão do FC Porto e precisa de receber”, avisa, prometendo, “a menos que o FC Porto cumpra com as suas obrigações ainda nos próximos dias”, uma queixa em instâncias insuperiores. “Acredito que o FC Porto esteja em dia com o que estava acordado com os jogadores, mas com o Standard falhou às suas obrigações, pelo que encaramos seriamente a possibilidade de tomar medidas junto das instâncias internacionais para fazer valer os nossos direitos, apesar de sabermos que estes são sempre processos demorados.”

Da parte dos dragões, apesar da insistência de O JOGO para obter uma reacção, não houve esclarecimentos. A Agência Lusa, citando uma fonte não identificada, sublinha que o atraso é de apenas “alguns dias” e que se deve a um alegado incumprimento do Atlético de Madrid. “O Atlético de Madrid ainda não pagou a transferência de Radamel Falcao e isso obriga ao adiamento de alguns pagamentos”, escreveu a Lusa, com base na mesma fonte do FC Porto. Aliás, o campeão português chegou até a adiar o envio do certificado internacional do colombiano, mas fê-lo, entretanto, e aparentemente sem que a situação tenha sido resolvida.

O Standard não está pelos ajustes e quer ser ressarcido pela venda dos jogadores. Por ter negociado com dois clubes portugueses no defeso – FC Porto e Benfica -, Pierre François aproveitou esse facto para uma comparação. “Sem nos querermos meter em quezílias entre clubes, o Benfica teve um comportamento completamente diferente e procedeu ao pagamento acordado, mal recebeu o certificado internacional de Witsel”, apontou.

A terminar, o director-geral explica o porquê do comunicado público: “Numa altura em que Michel Platini, presidente da UEFA, fala em fair-play financeiro, queremos denunciar esta situação, dizer a verdade e dar um sinal de alarme contra os clubes incumpridores em matéria de transferências.”

in O Jogo

Com o mal dos outros bem posso. Mas se o assunto fosse connosco lá teriamos de aturar o “humor refinado” do sr pinto da costa.

Por isso digo: paga caloteiro. Já gastaste o dinheiro todo do vilas boas? pois, brasileira é fogo.

Bola7 falou…

29
Set
11

118 anos de aldrabices!

a verdadeira historia do fcp

É meu dever publicar este brilhante artigo do confrade “em-defesa-do-benfica.blogspot.com”…mais que isso..é um imperativo nacional qualquer Benfiquista publicar e espalhar a verdade sobre este assunto, que é a prova da gente sem caracter que comanda o nosso maior adversário…porque quem renega os seus é capaz de tudo!

Bola7 falou…

28
Set
11

3 pontos e pronto….!

Pouco mais se aproveita deste jogo disputado contra a equipa mais ridícula que alguma vez vi na champions. Das duas uma…ou os rapazes romenos ficaram petrificados perante o colosso histórico Benfica ou então no ano passado a liga romena foi sujeita a um estado surrealista tirado da série Twilight Zone. Para quem deu ao mundo jogadores da estirpe de Hagi, Marius Lăcătuş, Gheorghe Popescu e Dan Petrescu por exemplo, ver aquele grupo de bons rapazes faz alguma espécie.

Com o mal dos outros bem cá podemos, e estes pobres rapazes até fizeram a vida negra aos outros que ontem sobressaltaram Old Traford. O futebol é mesmo tramado.

Como previa, 2 mudanças na equipa encarnada. Uma no meio campo e outra no ataque, com as trocas de Nolito por Bruno César e de Aimar por Saviola. No fundo a aproximação ao célebre losango, pois os alas Gaitan e Bruno César faziam movimentos interiores, com frequentes diagonais, e mais que isso, comandavam mais o jogo que os médios centro, trocando imensos passes entre si, só possível pela extrema interiorização dos mesmos no processo ofensivo, tendo inclusive resultado no golo da vitória.

O resultado disso, foi o congestionamento da zona central do campo, pois se os romenos não são grande espingarda do ponto de vista técnico, tacticamente estiveram bem, não caindo no engodo de Gaitan que tencionava arrastar o lateral adversário para centro de forma a abrir auto-estrada para Maxi Pereira. Este, porque está com menos fulgor e porque foi bem marcado raramente chegou à frente. Do outro lado Emerson, gozando de mais liberdade, beneficiando também de movimento similar de Bruno César, não teve o talento suficiente para rasgar a defesa adversária.

Depois esta equipa do Benfica tem um vício de forma, que advém do seu jogo muito laborado, no qual os alas ou laterais nunca por nunca vão á linha e simplesmente centram para a área. Não, têm sempre de dar uma voltinha, passar para trás ou tentar a interiorização. Resultado, os avançados nunca chegam rapidamente à área. Vão sempre devagar, na perspectiva que a bola ainda demorará a lá chegar…quando algum “tolo” a coloca com muita pressa lá dentro eles estão ainda lá atrás…mas péra lá…será que os “assistentes” não colocam logo a bola na área porque sabem que os avançados demoram demasiado a chegar e por isso há que contemporizar?…

Num jogo quase a parecer um Benfica – Freamunde para a taça da Liga, no qual o Benfica tem a posse massiva do jogo, oportunidades, quase nem vê-las. Os atacantes insistem nas tabelinhas estéreis, em especial o decadente Saviola, incapaz de um sprint com finalização desde sei lá que dia do mês e do ano. Que lhe adianta tabelar se não tem força para ir buscar a bola mais à frente. Que lhe adiante driblar 2 ou 3 jogadores quando praticamente não sai do local e o 1º ultrapassado logo lhe retira a bola?

Sinal positivo saiu do banco…Rodrigo. Nos pouco minutos em campo, houve de imediato uma maior verticalidade do jogo encarnado. Finalmente vi um avançado a correr com intencionalidade para a área adversária, não para simplesmente tabelar e ficar, mas sim para finalizar. É tempo de lançar os miúdos Rodrigo e Nelson Oliveira, puros mustangs de força e vontade de triunfar. O tempo dos “Saviolas” está a terminar.

Pena que nessa altura já o jogo estava estupidamente dividido. O Benfica a tentar sem grande arte o 2-0 e os patetas dos romenos a sonharem com o milagre.

Ontem mais uma vez os famosos defensores dos “Robertos” deste mundo levaram mais uma lição…lição de como um guarda-redes que ganha jogos. Ganha-se jogos defendendo apenas quando é necessário. Não se ganha jogos defendendo como um doido 89´e no minuto 90 dar valente frango com influência o resultado. Artur assim o fez mais uma vez ontem.

Bom jogo da defesa com especial realce para os centrais, com Garay a mostrar qualidade de passe digna dos melhores centrais…brasileiros, para mim os melhores do mundo…Emerson defende bem, e não inventa o que não sabe, por isso não espero dele grandes malabarismos…

O resto da equipa fez o que geralmente faz esta equipa do Benfica…no mesmo jogo alterna momentos de grande qualidade com mediocridade assustadora.  

Ah…quanto resultado em Old Traford que assustou toda a gente. Eu cá acho que a equipa do Benfica devia pensar assim…ganhando na Suíça e os 2 jogos em Portugal, provavelmente somos o 1º do grupo. Mas isso sou eu a pensar, e claro, convém jogar mais…muito mais.

Bola7 falou…

28
Set
11

Posição incómoda!

Será que o capitão alemão ficou tambem com dor de cabeça?

Bola7 falou…

27
Set
11

Botar figura!

Queres botar boa figura na Champions? Então tens obrigatoriamene de ganhar o jogo. Se é para encher pneus ou andar a pastar a toura, antes vale ficar em casa.

É preciso saber respeitar o adversário porque tem o seu valor. Mas não acredito que seja superior a um Guimarães ou Braga. Quando vamos jogar à casa destes jogamos para empatar? Não…então temos de ter a mesa atitude…jogar para vencer. Uma vitória na Roménia será sempre um aumento no capital…massa e  moral.

A equipa apresentar será muito próxima da do costume. Presume-se a possibilidade de 2 alterações no máximo, que devem passar pelo meio campo e ataque, nada mais que isso. A Champions não é propriamente a taça da Liga.

Bola7 falou…

 

27
Set
11

Árbitro familiar de Fucile!

26
Set
11

Um adepto tranquilo!

Foi com bastante tranquilidade que vi o jogo da passada sexta-feira. É que depois das misérias da última época quase tudo que mais, seria sempre bom, pois acho muito difícil repetir tanto miserabilismo recente. Para espanto de muitos, e apesar do resultado ao intervalo, até consegui comer uma bucha, facto inédito na minha pessoa.

Sem surpresas assisti ao desenrolar das diversas incidências do jogo. A começar da falência do famoso cagaço da personagem da Marvel, que enchia de temor o coração do adepto encarnado. Graças a Deus, JJ pôs o cérebro a funcionar e não ignorando a movimentação em diagonal do brasuca verde, entregou a marcação a quem é pago para isso…o seu lateral esquerdo de eleição, Emerson. Este cumpriu bem a sua missão e o resto da equipa, em especial os centro campistas também. E no final do jogo os adeptos que, tremiam só com sonoridade do nome do rapaz, logo saíram a terreiro a gritarem aos ventos que afinal o dito herói é um flop…o costume.

A primeira parte foi um pouco do mesmo…controle do jogo quase absoluto do fcp, com pressão alta, a asfixiar o meio campo encarnado, Com Javi bloqueado e com Witsel incapaz, ou obrigado por ordens superiores a ficar retido no seu mio campo, incapaz  de dar uma ajudinha nos pobres que se aventuravam na frente, obrigando os defesas a jogar…para ninguém. Foi com a maior naturalidade do mundo, não pela forma, pois a defesa meteu água, que o foragido da ilha da Madeira marcou o golo perto do intervalo. Curioso como a defesa do Benfica que deu tão boa conta do recado em quase 90 minutos, e falhou tão clamorosamente nos 2 golos do fcp, qual deles o mais “incompetente”.

Na 2ª parte veio acima a teoria da garrafa meio cheia em contraste com a da meio vazia. Há quem jure que foi o Benfica que subiu muito e quem diga que afinal foi o fcp que desceu demais. Julgo que no meio está a virtude. Se é certo que na 1ª parte o fcp foi mais forte, também não foi de forma tão demolidora como…na época passada, por exemplo. E nem o Benfica foi tão fraco com por exemplo…na época passada.

O fcp foi perdendo a posse de bola e mais que isso, foi perdendo o controlo do jogo. Javi via o seu parceiro belga a começar a controlar mais a bola, a assumir o jogo sem temor, e os 2 começaram a ganhar no aspecto físico e táctico, porque se calhar até são melhores que os seus oponentes. Às tantas começou-se a perceber que o Benfica estava mais perto do 2-2 que o fcp do 3-1. Vítor Pereira lembrando-se da influência de Bellushi na época passada, resolve lança-lo em campo para controlar o jogo no meio campo, e resolver na frente.

Mas como sempre disse, a vontade, espírito, garra muitas vezes fazem a diferença. E aí um Benfica, que motivado pela facilidade com que marcou o 1º golo, sentia que o último reduto adversário era mais acessível do que suponha. As substituições feitas por JJ tiveram o condão de lançar gente com mentalidade e vontade para enfrentar o adversário olhos nos olhos. E o empate não espantou ninguém, muito menos os adeptos andrades que há algum tempo deixaram de ter a convicção de outros tempos.

Este jogo foi também uma lição para todos. Há que saber tratar com muito cuidado este tipo de jogos. Evitar provocações, ou actos que eles transformam em vitimização é 1º passo para o sucesso. Há que saber acalmar as hostes. Enfrentar as provocações adversárias com um sorriso nos lábios tem um efeito dissuasor. Às tantas eles não sabem se a atitude do seu adversário é de temor ou de confiança. A motivação para a guerrilha perde força, e a vontade dispersa-se.

Quem ganha com isso é o sôr árbitro, que teve de se preocupar mais com suposta presença de um observador da UEFA, do que acompanhar a “movimentação sonora” vinda bancada. E se em alguns momentos o seu apito só tinha um sentido, não deixa de ser verdade que teve a capacidade de discernir entre a realidade o mau teatro…mas ó inocentes, não venham já com a conversa da sanção para os artistas de antanho, Fucile, Alvaro Perreira e Guarin, porque nem os meu neto mais novo é assim tão pateta.

2-2 é um bom resultado para o Benfica? Para o grande Benfica nem por isso. Atendendo ao passado próximo, e da forma como foi conseguido, foi sem dúvida um resultado bem interessante.

Bola7 falou…




Bola7Inc

Setembro 2011
M T W T F S S
« Ago   Out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Estatisticas

  • 939,909 Visitas
Free counters!

Sondagens

Top de classificação

Páginas

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 43 outros seguidores