31
Out
11

Vamos tirar as duvidas!

Para mal dos meus pecados, eu que gosto de ver os jogos em casa sem confusões, tinha tudo em pantanas às contas da minha filha mais velha e suas amigas scouts.

Uma vez na vida resolvi ver o Benfica semideitado num puff, talvez porque tivesse a sensação que o jogo não seria complicado. Uma questão de feeling.

Aos 25 segundos jogada perfeita termina com o golo mais rápido da 1ª liga. Festa no mundo encarnado e seguindo a lógica de que o mais difícil é sempre meter a 1ª bola, auspícios de goleada no horizonte.

Senti que essa entrada de rajada consumada com um 2º golo também da autoria do “espanhol” Rodrigo Moreno, servia essencialmente para fazer a equipa puder abrandar o ritmo e reservar forças para o essencial embate europeu e 4ª feira. Fazendo zapping reparava que o Real Madrid de Mourinho, e com um resultado mais curto parecia ter o mesmo manual de jogo.

Ao ver a forma como os homens de Olhão em perfeito estado de letargia, assistiam aos movimentos encarnados, fez-me lembrar com um sorriso na boca, um programa brasileiro de 1986, o “Casseta e Planeta”, no decurso do Mundial do México, no qual com o típico humor brasileiro, acusavam o “Doutor” Sócrates de estar no melhor sitio que existe no mundo para se ver futebol – no gramado.

Bom demais para ser verdade. Ninguém pressionava ninguém, principalmente os pontos fracos do Benfica, que são as transições defesa ataque, quando conduzidas por Matic ou Emerson. Depois, mesmo sem grande inspiração, Aimar baixava no terreno e conduzia com sapiência a bola para as acções ofensivas, de uma forma incapaz para a quase totalidade dos centro-campistas em Portugal. Se é certo que o argentino esteve algo estranho na definição do passe final, a segunda parte fez perceber a qualidade do transporte da bola que o camisa 10 empresta à equipa, porque com a saída dele, essa qualidade simplesmente desapareceu.

Num mundo cuja esquerda política parece ter perdido a pujança de outros tempos, confesso que nunca vi um Benfica tão “esquerdista” como no sábado. Mais de meia equipa com uma perna direita que só serve para subir ao “vermelhão”, foi coisa inusitada. É caso para dizer que a classe operária deste pobre país tem de procurar inspiração no império vermelho da luz.

Olhei para o meu relógio, vulgo cebola dos tempos de escola, e reparei no minuto 23. Deu-me a sensação que há alguns minutos o jogo já não era igual. Os jogadores do Benfica já não tinham a ânsia egoísta de não partilhar a bola com o adversário. E como os rapazes de Olhão continuavam apenas a olhar com inveja para os donos da bola, deixei-me estar semideitado no tal puff, a pensar que afinal o Maxi está operacional, mas seria talvez melhor prá próxima quarta-feira, deixa-lo na direita na mesma, pois é lá o seu habitat natural.

No começo da 2ª parte comecei a cismar que as câmaras da TV estavam a filmar mais abaixo que o habitual, e senti uma sensação de desconforto. Pior fiquei quando vi os jogadores de Olhão felizes da vida a ensaiarem uma dança hipnótica que levou, sem ninguém perceber como, a bola para dentro de um atónito Artur.

Lá me levantei para me sentar de seguida no meu lugar de guerra, com a convicção plena que teria de começar a gritar para o televisor no tom certo para os jogadores me ouvirem, porque tenho a certeza que se gritar nos decibéis correctos eles acabam por me ouvir.

Se é certo que o complexo do Sócrates – não falo do ex-primeiro ministro mais dado a comer vichyssoise com os amigos feitos nos últimos 5 anos, mas do brasileiro rei do toque de calcanhar – não assentou arraias no relvado da Luz, não deixou de ter um travo amargo a forma como a equipa encarnada, perdeu a beleza das suas movimentações da 1ª parte, ficando refém de alguns receios, incapaz de ultrapassar a simples nuance táctica do Olhanense, que ao meter mais um jogador no miolo, secou a fonte inspiradora do jogo encarnado. E depois…depois já não havia Aimar, o infeliz Aimar, cuja falta de inspiração será sempre muito mais inspiradora do que maioria dos sortudos que demasiadas vezes envergam a camisola número 10 de qualquer equipa.

Diz-se que o Benfica controlou o jogo. É verdade que o Olhanense pouco ou nada fez para incomodar, porque prisioneiro da sua mediocridade. A sensação de um certo masoquismo é perceptível no ar. Mas como disse o camarada Bola7, o Benfica parece estar com estrelinha. Se o fiscal a tentou apagar com a anulação de golo limpo a Cardozo, não deixa de ser verdade que aquele remate do velhote Djalmir normalmente bate num defesa e trai o nosso guarda-redes. Será a tal estrelinha.

Não vale e pena conjecturar. Vem a aí uma bela colecção de jogos de grau de dificuldade bem elevada. Benfiquistas, portistas e sportinguistas acusam-se mutuamente de que os seus jogos têm sido contra equipas “foleirotes”, daí estarem tão confortáveis nesta época. Pronto, vamos então “começar a jogar a sério”. Quem tiver unhas que toque guitarra.

Sendo assim, será que o Benfica começa a sua candidatura a uma grande época já quarta-feira? Vamos tirar as duvidas.

E pluribus unum.

Notlim falou…

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 Responses to “Vamos tirar as duvidas!”


  1. 1 Manel Dos Anzois
    01/11/2011 às 05:10

    Para reflectir:

    – Benfica espoliado do 3º golo, o da tranquilidade, mal invalidado…
    – Na semana passada, 2 golos irregulares dos corruptos contra o Nacional foram validados.
    – Lagartos levados ao colo pela arbitragem em Santa Maria da Feira.

  2. 2 NetoD'AbóBina
    01/11/2011 às 18:14

    Tudo certo.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


Bola7Inc

Outubro 2011
S T Q Q S S D
« Set   Nov »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Estatisticas

  • 941,002 Visitas
Free counters!

Sondagens

Top de classificação

Páginas

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 43 outros seguidores


%d bloggers like this: