Arquivo de Janeiro, 2012

31
Jan
12

O regresso das “vieirisses”!

“Em Moçambique ao menos está quentinho”

Rúben Amorim no Braga.

A prova que Vieira coloca à frente os seus interesses em detrimento dos do clube! E andam os adeptos à chapada porque vão a Braga e são humilhados de todas as formas…pobres inocentes.

Lá foi Vieira e seu amigo Salvador à bela Lourenço Marques, hoje Maputo, comer o maravilhoso marisco, beber umas cervejinhas frequinhas, no belo calor humano que só o bom povo moçambicano é capaz de produzir, e sai de lá mais uma prova de amizade…unilateral.

Ainda há duvidas que Vieira e Salvador são grandes amigos e que o Benfica é um excelente trampolim para as negociatas de Vieira?

Eu cá nunca duvidei. Mas isso sou eu.

Começa a contagem decrescente para a assinatura do contrato do Benfica com a “maléfica” Olivedesportos. Convem alguns começarem a preparem o discurso da defesa, porque têm estado muito entretidos a propaganderam as virtudes da não assinatura e depois ainda podem ser apanhados com discursos opostos num espaço de tempo demasiado curto…

Bola7 falou…

30
Jan
12

Djaló chega, Nelson Oliveira vai?

Um parece chegar a  custo zero…o outro tem vontade e precisa de jogar…talvez…a seguir nas próximas horas…

Bola7 falou…

30
Jan
12

Tudo muito amarelo!

Olhei para o Artur e não gostei. Parecia um pintainho. Depois, pela 1ª vez, desde que está no Benfica, reparei nele um certo desconforto, visível no seu rosto, não sei se com o relvado se com a cor do equipamento.

Desconforto que se estendeu a toda a equipa, em especial a defesa, com muitas caras feias perante os tímidos avanços feirenses.

Sinceramente não entendo JJ, em especial a forma como montou a equipa. Não percebo como jogando em relvado que todos sabiam de antemão ser mais pequeno que o normal, não colocar em campo os jogadores capazes de jogarem em espaços curtos, com a barbaridade de colocar um brasileiro que está ainda na 1º época na Europa, em adaptação a um futebol mais exigente do ponto de vista de colocação e físico, como foi o Bruno César, especialmente porque no Brasil jogava mais ao centro de campos em que as ausências de marcação permitem receber a bola, tomar uma xícara de cafezinho, rodar, pensar e finalmente agir.

Tendo em conta que Emerson é uma absoluta nulidade atacante restava o centro, porque na direita JJ resolveu também inovar, colocando Rodrigo numa 1ª fase numa falsa posição de extremo direito que flectia para o centro em ataque, mas que a defender recuava a ajudar Maxi, pois Witsel ia dar uma ajudinha a Javi e Aimar, muito aflitos ao centro. Melhorou um bocadinho no final da 1ª parte com a deslocação do gadelhudo belga para a direita mais fixa, mas não foi o suficiente para dar amplitude aos movimentos atacantes.

Como sempre trancas à porta após o roubo. Como JJ tem esta epoca novamente a previdência divina, um tal Varela resolveu ser protagonista e depois de marcar um golo resolveu devolver amavelmente à procedência o resultado do prélio. Com as entradas naturais e exigíveis de Nolito e Gaitan, em especial o 1º, o Benfica novamente deu a volta ao resultado. Mesmo sem jogar um futebol de qualidade, bem longe disso, a equipa encarnada teve o mérito de saber lutar, e é isso que se pede aos campeões quando a inspiração não abunda.

E tanto não abundou que tendo inúmeras chances de resolver o resultado, nunca o conseguiu criando a habitual angustia dos últimos minutos no pobre adepto.

Valeu além do espírito guerreiro, uma maior concentração dos defensores em especial Garay, que com um olho no burro e noutro no cigano, inspirou tranquilidade a Emerson a resistir bem à tentação feirense de o massacrar à laia do elo mais fraco.

Vitória importante, como todas, mas em especial pelo que se passou 24 horas depois em Barcelos. Convinha era que o Benfica não abusasse da sorte. Numa altura da época entravam a matar e depois pastavam o resto do jogo acabando alguns em dificuldade. Agora entram a pastar, terminando bem mas não evitando alguns amargos de boca pelo meio. Caramba, meio-termo para as coisas.

 

Bola7 falou…

30
Jan
12

Ainda ninguem ganhou nada!

27
Jan
12

…acho bem!

A liga não deixou o Feirense ganhar a lotaria,  jogando em Aveiro? Tanto pior, tanto melhor.

Prefiro assim. Jogar em Aveiro para a máquina propagandista da santa aliança lagarta/andrade andar aos berros sobre uma pretensa inverdade desportiva, assente na fraca memória em causa própria?   Para o estádio estar cheio de Benfiquistas que ao contrário do que muitos pensam serve muito para acicatar a equipa da casa, motivando-a ainda mais para causar desaforo no imperial Benfica? Não, prefiro assim.

Jogamos em Vila da Feira. Campo pequeno? bah, as balizas têm a mesma dimensão e quem quer ser campeão tem de saber sofrer. Julgo que devido à condicionante campo os nossos jogadores estarão mais concentrados e mais capazes do que estariam em Aveiro. Já vi este filme há muito…o fcp tambem estava contente por jogar com o Feirense em Aveiro…

É para jogar para ganhar sempre e em todo o lado?Se assim for…acho bem!

Bola7 falou…

 

26
Jan
12

Identidade!

Quando se perde a identidade, tudo se torna mais difícil. Tem sido assim com o Benfica. Perdeu, o clube e as suas gentes a identidade ganhadora, e a dificuldade para regressar ao primeiro plano do nosso futebol é evidente. Já antes a tinha perdido o scp, após a saga dos 5 violinos, e caminha lenta mas seguramente para a belenização.

À 8 dias em Madrid foi evidente que não se deve nunca renegar os seus valores de sempre. O real Madrid ao jogar com o Barça, concentrado apenas em negar ao adversário a possibilidade de explanar o seu jogo, ao invés de se impor como um gigante que é, perdeu a eliminatória da taça do Rei. Ontem viu-se o regresso aos valores primitivos e nou camp gelou. E mesmo assim a festa é culé apenas, porque o Real Madrid ao contrário do que muitos pensam não tem a qualidade que se apregoa. Tenho dito isto aos meus amigos madrilenos…o Real Madrid tem demasiados jogadores de qualidade duvidosa para a dimensão do clube. Com mais qualidade e fortuna ao intervalo tinha virado a eliminatória. Mas nada do que aconteceu ontem me faz deixar de pensar que quando se trai a identidade do clube, a paga a essa traição é a morte. Já disse que o Barça do excelente Guardiola é uma das melhores equipas que vi desde sempre. Mas não vejo nada de transcendeste nesta equipa para justificar semelhante diferença para os demais pares. Perdão, talvez exista uma…seja em que situação for o Barça nunca perde a sua identidade de jogo…a sua filosofia de clube, Uma lição para todos.

PS: Eu vi essa identidade num passado longínquo, uma equipa sem guarda-redes e 10 homens em campo lavrado, a lutar até ao minuto 90 pela vitória numa final europeia em San Siro. E vi no final do jogo o publico reconhecer aos vencidos a grandeza da sua dimensão. E li em grandes parangonas que os vencidos eram realmente grandes…muito grandes.

Bola7 falou…

25
Jan
12

O maior!

O maior. Rei e senhor. Simplesmente…KING!

Parabéns pelo 70º Aniversário. Que vivas para sempre!




Bola7Inc

Janeiro 2012
S T Q Q S S D
« Dez   Fev »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Estatisticas

  • 940,538 Visitas
Free counters!

Sondagens

Top de classificação

Páginas

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 43 outros seguidores